Como a Apple chacoalhou o mercado com a atualização do iOS.

Usuários de iPhones em todo o mundo começaram a receber uma série de mensagens pouco familiares na segunda-feira, depois de baixarem a última atualização de software da Apple: eles querem ser rastreados? 

Dez meses depois que a Apple prometeu “recursos de privacidade aperfeiçoados” para os iPhones, as mudanças finalmente chegaram com o iOS 14.5, apesar dos protestos barulhentos dos rivais da Apple e de queixas antitruste na França e na Alemanha. 

Na primeira vez que os usuários abrirem cada aplicativo depois da atualização, se depararão com uma pergunta simples: “Permitir que (o nome do aplicativo) rastreie sua atividade em aplicativos e sites de outras empresas?” 

Há duas respostas possíveis: “Pedir ao aplicativo para não rastrear” ou “Permitir”. Os desenvolvedores de aplicativos terão alguma margem para defender o uso do rastreamento, mas diante de opções tão diretas, a expectativa é de que a maioria 

O que exatamente é rastreado? 

Até agora, os aplicativos são capazes de coletar e compartilhar com terceiros todos os tipos de informações pessoais, sua localização, que outros aplicativos você usa, quando você se conectou ao aplicativo, uma versão criptografada de seu endereço de e-mail, seu número de telefone e um número exclusivo que identifica seu iPhone, conhecido como Identificador para Anunciantes (IDFA, de Identifier for Advertisers). 

De acordo com a empresa desenvolvedora de aplicativos Fun Corp, “centenas de trilhões de ações e eventos do usuário” são monitorados todos os dias. Um redator do Washington Post descobriu que 5.400 rastreadores coletaram dados de seu celular em uma única semana. Muitos aplicativos enviam esses dados para vários parceiros, entre eles o Facebook e o Google. 

Cada vez que um usuário de iPhone abre e usa aplicativos e navega na internet, ele deixa “migalhas” de dados para trás, entre eles cópias de seu IDFA. Isso permite que o setor de publicidade on-line construa um perfil de seu comportamento, que os anunciantes usam para mostrar-lhe anúncios que seriam supostamente relevantes para ele. 

O que acontece quando eu me recuso a ser rastreado?

A Apple quer que todos os aplicativos obtenham consentimento explícito do usuário para esse comportamento. Se um usuário optar por não ser rastreado já na primeira vez que receber a notificação, o aplicativo em questão será impedido de acessar seu IDFA para sempre. E a expectativa da Apple é que os aplicativos não compartilhem outros dados, como números de telefone ou e-mails. 

Vou parar de receber anúncios? 

Não, você receberá o mesmo número de anúncios, mas eles não serão personalizados. O setor de publicidade acredita que o texto da notificação inicial não explica adequadamente o valor do rastreamento. 

Os usuários ainda receberão anúncios, mas com o corte do fluxo de dados, eles serão menos relevantes e os aplicativos poderão cobrar menos dos anunciantes. 

Em resumo, o modelo de negócios baseado em anúncios de que um grande número de aplicativos gratuitos depende acaba de sofrer um duro golpe. 

E como as empresas se sentem sobre isso? 

O setor da publicidade digital fatura mais de US$ 350 bilhões anualmente, e muitos desenvolvedores de aplicativos estão furiosos. 

O Facebook, em particular, construiu um negócio de US$ 80 bilhões por ano ao traçar o perfil de seus usuários e vender anúncios personalizados para eles. A empresa publicou anúncios impressos de página inteira em vários jornais, como o “Financial Times”, para dizer que as mudanças prejudicarão as pequenas empresas, que não conseguirão mais alcançar seus clientes com tanta facilidade. 

O Facebook também acusou a Apple de usar sua “posição dominante no mercado para dar preferência à sua coleta de dados, ao mesmo tempo em que torna quase impossível para seus concorrentes usarem os mesmos dados”. 

“Eles alegam que isso é sobre privacidade, mas na verdade é sobre lucro”, declarou o Facebook. “Não nos deixamos enganar.” 

Outras empresas, como Snap, Twitter e TikTok, também serão afetadas, e muitas empresas que dependem da publicidade nos dispositivos móveis têm testado soluções alternativas, tanto nos Estados Unidos quanto na China. 

Mais recentemente, Mark Zuckerberg deu a entender, no entanto, que a mudança poderia beneficiar o Facebook, de que é executivo-chefe, se encorajar as empresas a 

redirecionarem seus orçamentos da publicidade para o comércio direto. O Facebook tem investido em ferramentas que permitem mais compras on-line em suas plataformas. 

A grande exceção 

Há uma empresa que não vai perguntar aos usuários se eles aceitam ser rastreados. O Google decidiu que simplesmente deixará de usar o IDFA completamente. 

Embora seja prejudicial para o Google perder o acesso a dados de outros aplicativos, ele já possui uma grande quantidade de informações obtidas de seu pacote específico de aplicativos, com os quais pode contar. 

Quando um proprietário de iPhone usa a pesquisa do Google, ou o Google Maps, o Chrome, o Gmail ou o YouTube, o Google ainda pode coletar seus dados para criar perfis de anúncios, sem estar sujeito à mudança de política da Apple. 

O que a Apple ganha com isso? 

Já faz tempo que a Apple usa o argumento da privacidade como um aspecto chave na promoção das vendas do iPhone, para melhorar sua posição de destaque no mercado. 

Mas a empresa também se beneficiará de outras formas com as mudanças. 

Sem poder vender os dados que coletam para terceiros, os aplicativos terão de passar a cobrar de seus consumidores para garantir receitas. E a Apple recebe uma comissão de 15% a 30% sobre todas as compras de aplicativos e assinaturas feitas por meio de sua loja de aplicativos. 

Ao mesmo tempo, a Apple também planeja expandir seu negócio de publicidade “centrada na privacidade”. 

Eu tenho um celular com Android. Isso me afeta? 

Por enquanto não. Mas o sistema operacional do Google deve seguir o exemplo da Apple de alguma forma. O Google está em processo de construir sua plataforma de publicidade que “prioriza a privacidade” para desktops. 

https://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/04/27/ft-como-a-apple-est-chacoalhando-o-mercado-com-a-atualizao-do-ios.ghtml

Deixe um comentário