Montadora alemã alerta contra tarifas para veículos elétricos chineses

A Comissão Europeia não deve aumentar as tarifas sobre os carros elétricos chineses e se fizer isso correrá o risco de sofrer “retaliações” contra as marcas internacionais na China, alertou ontem o presidente-executivo da Volkswagen (VW). 

O braço executivo da União Europeia (UE) está investigando as importações de carros elétricos da China e a expectativa é de que eleve as tarifas nos próximos meses, após um aumento das importações colocar em risco os fabricantes europeus que estão fazendo a mudança dos motores a combustão para os veículos elétricos. Mas o presidente-executivo da VW, Thomas Schäfer, disse: “Não acredito em tarifas. Quero que todos possam competir nos mesmos termos”.

“Sempre há algum tipo de retaliação”, disse ele no seminário “O futuro do automóvel”, promovido pelo “Financial Times”. Seus comentários refletem as preocupações levantadas pelo presidente da Mercedes- Benz, Ola Källenius, que em março fez um apelo a Bruxelas para que reduza as tarifas sobre os veículos elétricos chineses. 

Montadoras como Stellantis e Renault, que não têm grandes negócios na China, têm sido mais eloquentes em relação à ameaça dos carros elétricos chineses. No entanto, a investigação vem enfrentando uma reação das montadoras alemãs, que dependem da China para uma parcela significativa de suas vendas e lucros. 

A investigação da Comissão Europeia já suscitou críticas de protecionismo de Pequim, que afirma que suas companhias simplesmente são mais competitivas. O presidente das operações europeias da chinesa BYD disse anteriormente que a companhia não depende de subsídios para fabricar seus veículos. 

Hoje, os veículos elétricos estão sujeitos a uma tarifa de 10% quando importados pela Europa. As montadoras europeias pagam 15% quando exportam para a China, o que é parte da razão de a maioria dos modelos alemães vendidos na China ser fabricada no país. 

Algumas montadoras chinesas também estão explorando a produção local na Europa. A BYD confirmou em janeiro que vai construir uma nova fábrica na Hungria para produzir carros elétricos. 

O apelo por tarifas mais altas também surge no momento em que as montadoras internacionais que dominavam o mercado chinês sofrem com vendas em declínio em meio à ascensão das marcas locais de preços mais baixos e design moderno. 

A VW, que já respondeu por quase um em cada cinco automóveis vendidos na China, viu sua participação de mercado no segmento de veículos elétricos cair para menos de 5%. 

Schäfer disse no seminário que a montadora alemã continua comprometida com o maior mercado automobilístico do mundo no longo prazo, apesar de reconhecer que é improvável que ela recupere a sua posição antes dominante na China. 

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2024/05/09/montadora-alema-alerta-contra-tarifas-a-ves-chineses.ghtml#

Deixe um comentário