COP27 chega a acordo histórico sobre perdas e danos e combate ao aquecimento global

Os 198 países participantes da COP27 chegaram a um acordo na madrugada deste domingo, dois dias após a data que a conferência deveria ter terminado na cidade egípcia de Sharm el-Sheikh, para a criação de um fundo sobre perdas e danos. É uma decisão sem precedentes nas conferências climáticas, apesar de termos vagos que deixarão os detalhes para o ano que vem e avanços aquém do necessário para combater as causas do aquecimento global.

Votado em uma plenária às 4h da manhã na cidade egípcia de Sharm el-Sheikh (23h de sábado no Brasil), o texto prevê a “criação de novos mecanismos de financiamento para ajudar países em desenvolvimento que são particularmente vulneráveis aos efeitos adversos das mudanças climáticas”. Os detalhes da linguagem, no entanto, foram parte do que fez a reunião de 12 dias extrapolar o prazo previsto, algo de praxe nas conferências do clima.

A proposta menciona também a busca por “novos arranjos financeiros”, indo ao encontro das iniciativas dos Estados Unidos divulgadas na COP27 — mercados de carbono e um mix de fontes que pode incluir bancos multilaterais e seguradoras. O assunto ganha cada vez mais urgência, após os custos de eventos climáticos extremos ultrapassarem US$ 220 bilhões neste ano.

— A COP27 fez o que nenhum outro país conseguiu, criando um fundo de perdas e danos para apoiar as comunidades mais impactadas pelas mudanças climáticas. Isso era algo que os países demandavam desde a Cúpula da Terra do Rio de 1992 — disse o ativista Mohamed Adow, diretor executivo da ONG Power Shift Africa. — Após 30 anos de dor, a ação climática está finalmente vindo para casa em solo africano aqui no Egito.

Um fundo para perdas e danos era posto como uma das questões centrais desta COP, mas também uma das mais espinhosas e difíceis de aprovar. O Reino Unido e a União Europeia historicamente se opunham à criação do mecanismo, uma demanda de mais de três décadas dos países mais vulneráveis, temendo que equivalesse a uma admissão de culpa e abrisse a porta a pedidos bilionários de reparações.

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2022/11/20/cop27-chega-a-acordo-histrico-sobre-perdas-e-danos-mas-deixa-a-desejar-no-combate-ao-aquecimento-global.ghtml

Deixe um comentário