Digitalização impulsiona companhias de tecnologia

A continuidade dos projetos de digitalização e o aumento na demanda de equipamentos por empresas e pelo setor público, prevendo a retomada das atividades presenciais, favoreceram o desempenho de empresas abertas de tecnologia no terceiro trimestre. Movimentos de aquisições e investimentos diretos em startups também seguem em alta no setor. 

Os balanços de seis empresas do segmento mostram aumento expressivo de receita. Locaweb, Multilaser, Neogrid, Positivo, Sinqia e Totvs tiveram aumento de 46% na receita líquida, para R$ 3,4 bilhões. O lucro desse grupo cresceu 9,5% de julho a setembro, na comparação com um ano antes. 

“Após a fase de sobrevivência de muitas empresas no ambiente on-line, durante a pandemia, houve um aprendizado nesta retomada [do trabalho presencial] e ficou claro que o modelo de negócio digital veio para ficar”, diz Laércio Cosentino, presidente do conselho da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom). 

A chegada do 5G, após o leilão de frequências realizado neste mês, é outro impulso forte para o mercado de tecnologia, segundo Consentino. “Viveremos um bom momento tanto no quarto trimestre, como em 2022 e 2023”. 

Na Locaweb, que faz hospedagem de sites, serviços de internet e computação em nuvem para o varejo, a receita líquida avançou 65,7% no terceiro trimestre, para R$ 209,1 milhões. O maior impulso veio das vendas para o comércio eletrônico, que cresceram 162,2%. 

O resultado final foi negativo, um prejuízo de R$ 3,7 milhões, mas impactado por aquisições, segundo o presidente da Locaweb, Fernando Cirne. Também houve mais despesas com marketing para atrair clientes. Sem o efeito das compras, a companhia informou um lucro líquido ajustado de R$ 26 milhões, superando as estimativas dos analistas do Goldman Sachs. 

Em agosto, a Locaweb comprou a startup Octadesk, que gerencia “chats” de empresas e consumidores, por R$ 102 milhões. Em outubro foi a vez da Squid Digital, de plataformas para influenciadores digitais e criadores de conteúdo, por R$ 176,5 milhões. 

O cronograma de fusões e aquisições da Locaweb inclui 26 companhias em análise e cinco memorandos de intenções assinados, informou Cirne em conferência com analistas sobre o balanço. 

Os processos de aquisição e fusão também impactaram o lucro líquido da Neogrid, fornecedora de softwares de gestão (no modelo SaaS, de software como serviço) para cadeias de suprimentos. A empresa fez sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em dezembro do ano passado, levantando R$ 486,5 milhões. 

Em setembro a Neogrid comprou a Arker, empresa de software de planejamento orçamentário e a Lett, especializada em análise de dados. Em julho, havia adquirido uma fatia da startup de inteligência de mercado Horus. Com isso, o lucro líquido recuou 59,9%, para R$ 1,67 milhão, comparado ao terceiro trimestre de 2020. 

Já a receita líquida de R$ 61,4 milhões, teve alta de 14,7% sobre o terceiro trimestre de 2020. Os gastos extraordinários com aquisições representaram 6,3% da receita líquida, ou R$ 3,87 milhões. 

A Sinqia, fornecedora de softwares para instituições financeiras, segue a trilha da expansão por meio de aquisições. Em outubro, comprou o controle da startup Quitejá, por R$ 38,2 milhões, incorporando ao seu portfólio ferramentas de recuperação de crédito. 

“Passamos a mirar mais de 60 milhões de inadimplentes no país”, disse Thiago Rocha, diretor financeiro da Sinqia em videoconferência sobre o balanço na semana passada. A estratégia de aquisições – foram 16 desde o IPO, em 2013, sendo três até setembro deste ano – colaborou para o lucro líquido de R$ 2,9 milhões no terceiro trimestre, que saltou 248,4%. 

Além das compras, a Sinqia fez dois investimentos em startups. Na semana passada, fez um aporte minoritário de R$ 1,5 milhão na CashWay, mirando os segmentos de banco como serviço e cooperativas de crédito. Em julho, destinou R$ 15 milhões à Celcoin, plataforma aberta de serviços financeiros para fintechs e bancos digitais. 

O movimento de fusões e aquisições em tecnologia deve seguir acelerado em 2022, não só no Brasil, prevê o presidente da Brasscom. “O mercado de tecnologia cresce organicamente e inorganicamente ao redor do mundo por ser cada vez mais essencial à evolução dos outros setores”, analisa. 

 “Com certeza, as empresas capitalizadas, seja por geração de caixa, abertura de capital ou follow-on, possibilitarão uma grande fase de M&As para o setor”, prevê Cosentino. 

A gigante Totvs também está de olho em novos negócios. Este mês, se comprometeu a aportar até R$ 300 milhões em startups em quatro anos. Em setembro, captou R$ 1,44 bilhão, em uma oferta pública de ações, para ir às compras. Em março, a companhia fez sua maior aquisição, da RD Station, por R$ 1,86 bilhão. 

A base de crescimento da companhia vem do potencial de investimento das empresas brasileiras em softwares de gestão empresarial (ERP) – sua especialidade -, que ainda está longe do nível de maturidade de países desenvolvidos. No terceiro trimestre, a receita da Totvs subiu 26%, para R$ 855 milhões, e o lucro aumentou 12%. 

“Vamos continuar com a dinâmica saudável de crescimento por volume”, disse o diretor-presidente da Totvs, Dennis Herszkowicz, ao apresentar os resultados há pouco mais de uma semana. 

Para as fabricantes de computadores, tablets e smartphones Positivo Tecnologia e Multilaser, o trimestre tradicionalmente mais fraco no varejo foi equilibrado pela alta na demanda de empresas e de licitações públicas, com a volta gradual a escritórios e escolas. 

“Está muito claro que as escolas públicas querem equipar as salas de aula com dispositivos móveis e teremos reposições o tempo todo”, disse Alexandre Ostrowiecki, CEO da Multilaser, ao apresentar os resultados a analistas. “Governo passa a ser um pilar estratégico”. 

A empresa, que estreou na bolsa brasileira em julho, registrou lucro líquido de R$ 225,6 milhões no terceiro trimestre — alta de 15,2%. A receita subiu 49,3%, para R$ 1,4 bilhão. 

Nos nove meses do ano, a receita bruta da Positivo com o setor público foi a que mais cresceu, passando a representar 27,9% dos R$ 2,7 bilhões acumulados no período, ante uma participação de 22,3% no mesmo intervalo de 2020. 

Para este quarto trimestre, a Positivo divulgou uma projeção de receita bruta entre R$ 1,2 bilhão e R$ 1,4 bilhão, superando o resultado de R$ 1,05 bilhão obtido entre outubro e dezembro do ano passado. 

https://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/11/22/digitalizacao-impulsiona-companhias-de-tecnologia.ghtml

Deixe um comentário