Pesquisa identifica “ansiedade climática” em jovens pelo mundo

Jovens e adolescentes do mundo todo estão sofrendo de “ansiedade climática”. Na maior pesquisa já feita sobre este tema, com 10 mil adolescentes e jovens de dez países, 55% deles dizem acreditar que terão menos oportunidades do que seus pais e 65% dizem que governos, com a falta de ação, estão traindo as futuras gerações. Do total, 75% afirmam que “o futuro é assustador”. 

Estes são alguns dos resultados de uma ampla pesquisa sobre os impactos da emergência climática feita com 10 mil crianças e jovens entre 16 e 25 anos em dez países e publicada na “Lancet Planetary Health”. O estudo foi liderado por pesquisadores da Universidade de Bath, do Stanford Medicine Centre for Innovation in Global Health, da Oxford Health NHS Foundation Trust e outros. A pesquisa foi financiada pela ong global Avaaz. 

Os jovens foram ouvidos na Austrália, no Reino Unido, nos Estados Unidos, na Índia, na Nigéria, nas Filipinas, na Finlândia, em Portugal, na França e no Brasil. 

No Brasil a pesquisa mostra que 79% dos jovens ouvidos acreditam que o governo está falhando ao agir e 77% se sentem traídos pelos governantes – número mais alto do que entre os jovens americanos, que se sentem traídos (56%) ou com um governo falho em relação ao tema (63%). A pesquisa foi feita em maio. 

Entre os brasileiros, 48% se sentem hesitantes em ter filhos em função da emergência climática. Em relação ao governo, apenas 20% dizem que está fazendo o suficiente para evitar a catástrofe e 78% acreditam que o governo mente sobre os impactos das ações que está tomando. 

“Vimos que a ansiedade climática é real entre os jovens, está afetando suas vidas e decisões e é um fenômeno global”, disse ao Valor Panu Pihkala, co-autor do estudo e professor na Universidade de Helsinque, na Finlândia. “É uma resposta racional à crise que é tão dramática e severa”. 

Pihkala diz que ansiedade climática foi sentida entre crianças e jovens de todos os países, mas entre os que vivem em regiões onde os impactos já são sentidos o nível de preocupação é muito maior. Os jovens portugueses, que presenciam o crescimento de incêndios florestais, por exemplo, são os mais angustiados entre os países do Norte. 

Os resultados da pesquisa indicam que 59% dos entrevistados se declaram “extremamente preocupados” com a mudança do clima. Mais da metade se dizem tristes, ansiosos, com raiva, sem poder, sem esperança e culpados. 

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/09/14/pesquisa-identifica-ansiedade-climatica-em-jovens-pelo-mundo.ghtml

Deixe um comentário