jardim_botanico_curitiba

Curitiba é a mais ‘inteligente’ do país, à frente de São Paulo

Curitiba passou São Paulo e é considerada a cidade mais “inteligente” do país. Isso significa que a capital do Paraná mostra avanços em indicadores de governança, urbanismo, empreendedorismo, tecnologia e inovação, educação e economia. A cidade de São Paulo, por sua vez recua em questões relacionadas a meio ambiente, tecnologia e inovação, saúde, educação, empreendedorismo, economia e energia.

O termo “cidade inteligente” ficou muito atrelado ao uso de tecnologia em iniciativas como semáforos inteligentes e projetos de iluminação pública. Mas o conceito deve ser mais abrangente. “A lógica é ser uma cidade economicamente viável e sustentável. O uso da tecnologia é um meio para buscar esses objetivos”, diz Willian Rigon, diretor comercial e de marketing da Urban System, consultoria que mede, segundo dados públicos, as cidades mais inteligentes do país, como mostrou matéria do Valor de 4/09

O ranking Connected Smart Cities, que está na quarta edição e mostrou São Paulo em primeiro lugar em 2016 e 2017, é composto por 70 indicadores divididos em 11 eixos – mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança (ver ao lado, o ranking geral, com a respectiva pontuação de cada cidade, e dez indicadores selecionados pelo Valor).

Os ganhos apurados por Curitiba em relação ao ano de 2017 ajudaram a cidade a avançar. Mas a mudança de posições no topo da lista também foi influenciada por algumas alterações na

metodologia do estudo. Além do acréscimo de itens como paralisação do abastecimento de água (que mede a eficiência do sistema no município), critérios que já existiam passaram a ser medidas de forma proporcional ao número de habitantes da cidade.

As ciclovias, por exemplo, eram medidas de forma bruta em quantidade de quilômetros. Agora, elas aparecem como uma relação de quilômetros para cada cem mil habitantes. De acordo com Rigon, essa relativização é importante para evitar que as maiores cidades sempre tenham destaque no ranking.

O levantamento, feito com dados públicos, considera municípios com mais de 50 mil habitantes. As prefeituras não respondem a nenhum questionário. Neste ano, a empresa de eventos Sator colaborou na pesquisa.

Completando a lista das 10 cidades mais inteligentes estão Vitória, Campinas, Florianópolis, Rio, BH, Porto Alegre, Santos e Niterói. As três últimas estrearam no ranking neste ano.

Porto Alegre, Santos e Niterói melhoram indicadores, enquanto São Paulo, Brasília e São Caetano recuam

Porto Alegre apresentou melhoras nos indicadores de educação, empreendedorismo e governança. Santos teve indicadores melhores em mobilidade e meio ambiente – e se beneficiou da piora de indicadores de Brasília e São Caetano. Niterói foi a cidade que galgou mais degraus, subindo oito posições. Registrou avanços em mobilidade, meio ambiente, tecnologia e inovação, empreendedorismo, saúde, educação, urbanismo e governança.

A concentração de cidades das regiões Sul e Sudeste na lista das 10 mais inteligentes é, segundo Rigon, um reflexo das diferenças no desenvolvimento econômico brasileiro, mas também da crise econômica, que restringiu orçamentos e, consequentemente, a criação de novos projetos.

Rigon observa, no entanto, que ser uma cidade inteligente não é uma questão só de orçamento, ou porte da cidade já que, muitas vezes, cidades menores podem ter mais facilidade de adotar certas políticas, por não terem a complexidade de um grande centro.

“O resultado deste ano demonstra a importância das ações de curto e médio prazo realizadas em anos anteriores e dos planos estratégicos das cidades, que devem ser mais do que planos de governo que não necessariamente sigam apenas o ciclo político de quatro anos, mas que prevejam estratégias e ações em diferentes tempos: curto, médio e longo prazo”, avalia Thomaz Assumpção, presidente da Urban System. Segundo ele, nos últimos três anos essa visão de longo prazo tem deixado de ser um item incomum na gestão pública. “As prefeituras estão se profissionalizando”, diz o executivo.

https://www.valor.com.br/empresas/5799721/curitiba-e-mais-inteligente-do-pais-frente-de-sao-paulo#

Comentários estão desabilitados para essa publicação