india_economia_notaalta

Estudo contesta crescimento da Índia

As estatísticas da Índia podem estar pintando quadro bem mais otimista do crescimento econômico do que sugere a realidade mais modesta da última década.
Até recentemente, o país apresentava o maior crescimento econômico do mundo, mas um novo estudo do economista Arvind Subramanian, ex-assessor econômico-chefe do governo entre 2014-17, diz que a expansão foi superestimada entre 2011 e 2017. Em vez de crescer cerca de 7% ao ano nesse período, o crescimento foi em torno de 4,5%, aponta o estudo, publicado pelo
Centro de Desenvolvimento Internacional da Universidade Harvard.
Krishnamurthy Subramanian, o atual assessor econômico do governo, não respondeu ontem a pedidos para comentários.
A avaliação exagerada ocorreu depois que o congresso anterior – seguindo a orientação do governo – alterou a metodologia de cálculo do PIB em 2012. Um dos principais ajustes foi uma mudança para dados baseados em contas financeiras compilados pelo Ministério dos Assuntos Corporativos, sendo que metodologia anterior era baseada em volume de dados. Isso deixou as estimativas do PIB mais sensíveis às mudanças de preços, num período em que os preços do petróleo estiveram mais baixos, aponta o estudo.
Em vez de deflacionar os valores dos insumos pelos preços dos insumos, a nova metodologia deflaciona esses valores pelos preços dos produtos finais, o que pode ter exagerado o crescimento da produção industrial.
O novo estudo lança mais dúvidas sobre as estatísticas econômicas da Índia. Um número crescente de críticos vêm questionando as estimativas elevadas de crescimento sob o governo do premiê Narendra Modi. Um grupo de 108 economistas de todas as partes do mundo questionou a veracidade dos números, que podem estar sendo influenciados por políticos.
“A Índia precisa reparar esse dano reputacional à geração de dados, do PIB, ao nível de emprego e as contas do governo”, disse Subramanian. “Toda a metodologia e implementação de estimativas do PIB precisam ser revistas por uma força- tarefa independente.”
Os dados mais recentes mostram que o crescimento da Índia caiu ao menor ritmo em cinco anos nos primeiros três meses do ano. Na semana passada, o banco central reduziu sua previsão para o ano fiscal de 2020 de 7,2% para 7%.

https://www.valor.com.br/internacional/6302989/estudo-contesta-crescimento-da-india#

Comentários estão desabilitados para essa publicação