Huawei

Huawei lança chips de inteligência artificial e reforça ambições tecnológicas chinesas

A chinesa Huawei Technologies, maior fabricante de equipamentos para telecomunicações do mundo, revelou nesta quarta-feira um chip voltado a aplicações de inteligência artificial (IA), em estratégia para impulsionar seu nascente negócio de computação em nuvem.
A iniciativa, que fará com que a Huawei use seus próprios chips em seus servidores pela primeira vez, surge no momento em que a China está buscando acelerar o desenvolvimento de seu mercado de semicondutores em meio a um forte impasse comercial com os Estados Unidos, que ressaltou a dependência do país em tecnologia importada.
A China quer produzir localmente os chips de 40 por cento de todos os smartphones vendidos no mercado doméstico até 2025 e está apostando bilhões de dólares em campeões locais para chegar lá.
A Huawei montou sua unidade de computação em nuvem no ano passado e agora está tentando ganhar uma posição mais firme no mercado doméstico, atualmente dominado pela Alibaba. Embora a unidade seja responsável por uma pequena parte das vendas globais da Huawei, a empresa sinalizou a área como um potencial impulsionador do crescimento.
O novo chipset Ascend 910 de 7 nanômetros que a Huawei revelou na conferência anual de parceiros globais atenderá os negócios de computação em nuvem da empresa. O chip processará dados muito mais rapidamente do que os produtos concorrentes, disse o presidente da Huawei, Eric Xu, acrescentando que ele é duas vezes mais potente que o v100, da Nvidia.
A Huawei também revelou outro chip que pode ser usado para equipar câmeras de vigilância. A empresa espera que o Ascend 310 ajude a tornar a tecnologia de inteligência artificial mais barata para empresas de hardware, permitindo a elas a compra de módulos prontos que podem ser integrados a seus próprios produtos.
O Ascend 910 estará disponível a partir do segundo trimestre de 2019 e o 310 já está à venda, afirmou a Huawei.

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKCN1MK20V-OBRIN

Comentários estão desabilitados para essa publicação