tesla_china

Tesla abre licitação para erguer fábrica na China

A Tesla abriu uma licitação para construção de uma fábrica de veículos em Xangai e pelo menos um empreiteiro começou a compra de materiais para a instalação, de acordo com fontes e documentos analisados pela Reuters, na indicação mais clara de que a obra é iminente.
Os detalhes, anteriormente não relatados, revelam que a estatal Shanghai Construction Group está participando da licitação, enquanto uma unidade da China Minmetals está preparando materiais para as fundações da fábrica.
A unidade fabril de 2 bilhões de dólares, a primeira da Tesla na China, é uma grande aposta da montadora norte-americana de veículos elétricos para reforçar sua presença no maior mercado automotivo do mundo, cujas vendas foram afetadas pelo aumento das tarifas sobre as importações dos Estados Unidos.
A fábrica será também a primeira de automóveis totalmente controlada por estrangeiros na China.
A Tesla, liderada pelo presidente-executivo, Elon Musk, começou a buscar propostas de empresas que interessadas em construir a fábrica, de acordo com duas fontes e um documento de construção em uma plataforma oficial de licitações local.
O Shanghai Construction Group está entre várias empresas que fizeram ofertas no processo licitatório, disseram as duas fontes. Enquanto o Shanghai Baoye Group, uma subsidiária da China Minmetals, está se preparando para a entrega de uma grande quantidade de estacas de concreto e pontas de aço na segunda quinzena de dezembro, mostrou um documento no site da gigante dos metais.
A Tesla não comentou o assunto. O Shanghai Construction Group não respondeu a um pedido de comentário e um representante da Baoye confirmou o envolvimento da empresa no empreendimento.
O governo de Xangai disse que o prefeito Ying Yong visitou o local da fábrica e que o trabalho de preparação estava quase completo e a construção começaria em breve.
Ying pediu à empresa que “acelere” o trabalho na fábrica e disse que a produção começará em algum momento no segundo semestre do próximo ano, segundo a declaração.

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKBN1O518T-OBRIN

Deixe um comentário