NYT adiciona 109 mil assinantes digitais no 2º trimestre, e lucro sobe 51%

Comentários desativados

O The New York Times continuou a crescer no segmento digital no segundo trimestre de 2018, quando obteve 109 mil novos assinantes. A alta veio acompanhada por um avanço de receita que contrabalançou o declínio na publicidade em mídia impressa.
A empresa anunciou nesta quarta-feira (8) que a receita com assinaturas digitais avançou para US$ 99 milhões (R$ 371 milhões) no segundo trimestre, avanço de quase 20% ante os resultados do período um ano atrás.
Em termos gerais, a receita total da empresa cresceu 2% no trimestre, para US$ 415 milhões (R$ 1,560 bilhão), e o lucro subiu 51%, para quase US$ 24 milhões (R$ 90 milhões).
O The New York Times tem agora 2,9 milhões de assinantes exclusivamente digitais, de um total de 3,8 milhões.
“A receita com assinaturas respondeu por quase dois terços da receita total da companhia, uma tendência que esperamos que venha a se manter”, afirmou Mark Thompson, presidente-executivo da The New York Times Co., em comunicado.
“Continuamos a acreditar que exista espaço significativo para expandir substancialmente essa base.”
As demais receitas da empresa cresceram 40% no segundo trimestre, em larga medida devido a um acordo entre a The New York Times Co. e a Newsday, que agora se encarrega de imprimir e distribuir as publicações da companhia.
Outras fontes de receita incluem a locação de mais quatro andares na sede da empresa em Nova York e o sucesso do Wirecutter, um site de resenhas e recomendações adquirido pelo The New York Times em 2016.
Mesmo com o avanço nas assinaturas digitais, a companhia sofreu queda de 10% em sua receita publicitária, o que inclui retração de 7,5% em sua publicidade digital, para US$ 51 milhões (R$ 191 milhões). A receita com publicidade em mídia impressa caiu 11,5% no segundo trimestre, para US$ 68 milhões (R$ 255 milhões).
O segundo trimestre de 2017, que viu alta de 23% na receita com publicidade digital, foi um período de exceção, devido, em parte ao “efeito Trump”.
“O trimestre mais recente foi contido em termos de publicidade digital, como previmos, mas continuamos confiantes em que retornaremos a um forte avanço anualizado no terceiro trimestre”, disse Thompson.
Para o futuro, Thomspson disse antecipar que a receita total com assinaturas continue a crescer.
“Estamos satisfeitos com o nosso progresso na obtenção de assinaturas internacionais, especialmente em mercados como a Austrália e o Reino Unido, onde estamos realizando esforços coordenados de jornalismo, opinião e novas táticas de marketing”, disse Thompson em conversa com analistas nesta quarta-feira.
A empresa também antecipa crescimento de 10% em sua sua receita com publicidade digital no próximo trimestre, e uma queda de apenas alguns pontos percentuais em seu faturamento publicitário agregado.
O podcast The Daily provou ser uma ferramenta bem-sucedida para atrair uma audiência mais jovem para o The New York Times.
“O The Daily é um negócio bem-sucedido em termos publicitários”, disse Meredith Kopit Lieven, vice-presidente executiva e de operações da The New York Times Co.
“Temos muitas indicações que sugerem que o formato do The Daily, essencialmente uma ou ocasionalmente duas grandes histórias diárias, torna mais provável que as pessoas se engajem com nossa plataforma.”
Thompson se disse otimista quanto a um programa de TV em linhas semelhantes, The Weekly, em parceria com o canal FX e o serviço de streaming Hulu, e está convencido de que ele terá impacto parecido.
“Esperamos que The Weekly leva o jornalismo do Times a novas audiências, gere receitas diretas substanciais e promova engajamento com, e assinaturas dos, nossos serviços de notícias e opinião”, disse Thompson.

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/nyt-adiciona-109-mil-assinantes-digitais-no-2o-trimestre-e-lucro-sobe-51.shtml

Comments are closed.