Facebook-Dating_notaalta

Facebook entra no mercado de namoro e desafia Tinder

O Facebook está lançando seu serviço de namoro nos Estados Unidos, numa aposta de que seu profundo conhecimento sobre os gostos e hábitos de usuários vai ajudar os solteiros a encontrar o amor. A maior rede social do mundo, na qual mais de 200 milhões de pessoas se declaram solteiras, anunciou que o Facebook Dating o lançamento no mercado americano, ontem, para ajudar os namoradores a iniciar “relacionamentos significativos por meio das coisas que têm em comum”.
A empresa disse esperar que o serviço, que é de adesão voluntária, dê às pessoas “uma visão mais autêntica sobre como alguém é”, ao permitir que os usuários integrem interesses, grupos, eventos e fotos vinculados a seus perfis no Facebook.
A implantação de uma alternativa controlada pelo Facebook a aplicativos populares de namoro, como o Tinder e o Bumble, provavelmente provocará polêmica, já que a empresa luta para combater as crescentes preocupações sobre a maneira como gerencia os dados do usuário.
Lançado primeiramente na Colômbia, no ano passado, o Facebook Dating pede aos usuários que criem um perfil de namoro separado, embora o recurso faça parte do clássico aplicativo de celular do Facebook. Os usuários escolhem que fotos e detalhes pessoais de seu perfil do Facebook querem incluir, embora o nome próprio e a idade sejam obrigatórios e inalteráveis.
Os participantes do aplicativo de namoro também podem adicionar grupos e eventos específicos do Facebook a seus perfis, o que permite que vejam outros solteiros – que fizeram o mesmo e correspondem às suas preferências de parceiros – com planos semelhantes.
Pessoas marcadas como amigas no perfil nunca são sugeridas como possíveis parceiras. Mas o aplicativo inclui o recurso Paixão Secreta, que permite aos usuários selecionarem até nove pessoas entre seus amigos do Facebook para receber uma notificação – se tiverem optado por participar do Facebook Dating – de que um amigo, não identificado pelo nome, está interessado nelas. Se uma das pessoas escolhidas adicionar o amigo original à própria lista, ambos receberão uma notificação.
Ao contrário do sistema de “deslizamento” de aplicativos como Tinder e Bumble – nos quais os usuários deslizam os dedos na tela para a esquerda ou para a direita para selecionar alguém -, o Facebook pede às pessoas que cliquem “sim” ou “não” para namorados potenciais, que aparecem em uma lista. O usuário pode “curtir” ou enviar mensagens a qualquer um que esteja na lista, independentemente dessa pessoa tê-lo “curtido”.
“Se alguém está interessado em você, você deve ficar sabendo, porque é assim que acontece na vida real”, disse Charmaine Hung, gerente de produto do Facebook Dating.
Coincidindo com o lançamento nos EUA, a empresa disse que os usuários do Dating ao redor do mundo agora podem adicionar postagens do Instagram a seus perfis. Até o fim do ano, também poderão incluir suas “stories” – seleções curtas de fotos ou vídeos – do Facebook e do Instagram.
A entrada do Facebook no mercado americano de namoro on-line, de US$ 2,5 bilhões, coloca a empresa em confronto com operadores históricos, como o Match Group, proprietário de empresas como Match.com, OkCupid e Tinder; ao site de encontros eharmony, lançado em 2000; e a aplicativos mais recentes, como Hinge e The League.
O preço das ações do Match.com caiu 7%, ontem, depois do lançamento do Facebook Dating.
De acordo com a consultoria eMarketer, o número de adultos que usam aplicativos de namoro nos EUA chegará a 25 milhões em 2019, embora a quantidade de usuários tenha começado a desacelerar depois de vários anos de crescimento robusto. O Tinder continua sendo o aplicativo de namoro mais popular nos EUA, com 8,5 milhões de usuários estimados em março, segundo o site Statista. O Facebook não divulgou o número atual de usuários do Dating.
Resta saber se os usuários do Facebook nos EUA estão dispostos a dar à plataforma acesso a detalhes íntimos sobre sua vida romântica. Desde o escândalo de dados da Cambridge Analytica, a empresa tem enfrentado críticas relativas à privacidade dos usuários e à forma como os dados pessoais que coleta são usados.
A empresa divulgou, ontem, que “a segurança, a proteção e a privacidade estão na linha de frente deste produto”, e que os dados coletados pelo Dating seriam mantidos separados de outras informações do Facebook. Segundo a companhia, os dados do Dating não serão compartilhados com profissionais de marketing, anunciantes ou outras equipes internas do Facebook.

https://www.valor.com.br/empresas/6424131/facebook-entra-no-mercado-de-namoro-line-e-desafia-tinder#

Deixe um comentário