John Bolton

EUA ameaçam punir juízes do Tribunal Penal Internacional

O governo de Donald Trump ameaçou nesta segunda-feira (10) impor sanções contra o Tribunal Penal Internacional (TPI), responsável por julgar crimes contra a humanidade, e a seus magistrados caso a corte investigue a atuação de militares americanos no Afeganistão.
Em discurso, o assessor de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, afirmou que juízes e procuradores do TPI que tentem investigar cidadãos americanos ou países aliados de Washington serão impedidos de entrar nos EUA e poderão até mesmo ser processados.
​”Se a corte vier atrás de nós, Israel ou qualquer aliado dos Estados Unidos, não vamos ficar de braços cruzados”, afirmou Bolton. 
“Nós vamos banir seus juízes e procuradores de entrarem nos Estados Unidos. Vamos sancionar suas contas no sistema financeiro dos EUA e vamos processá-los no sistema criminal dos EUA. E faremos o mesmo contra empresas e Estados que auxiliem o TPI a investigar americanos”, disse o assessor no evento em Washington do grupo conservador Federalist Society.
Ele disse que o tribunal —com sede em Haia, na Holanda— é ilegítimo e ameaça a soberania dos EUA e os direitos constitucionais de seus cidadãos. “Para todos os efeitos, o TPI já está morto para nós”, disse ele.
“Em teoria, o TPI culpa os autores das maiores atrocidades por seus crimes, garante justiça às vítimas e impede futuros abusos. No entanto, na prática, o tribunal tem sido ineficaz, não é responsável e de fato tem sido absolutamente perigoso”, disse Bolton.
Em funcionamento desde 2002, o TPI julga casos relacionados a crimes de guerra, genocídios e crimes contra a humanidade e os EUA oficialmente não fazem parte dele —em parte, graças ao próprio Bolton.
Durante o governo de George W. Bush (2001-2009), o atual assessor de Trump ocupou os cargos de subsecretário do Departamento de Estado e de embaixador do país na ONU.

https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/09/governo-trump-ameaca-punir-juizes-do-tribunal-penal-internacional.shtml

Comentários estão desabilitados para essa publicação