flip

Painel ESPM-FLIP 2014 -  A Flip e o Educação 360

Regina Ferreira da Silva

O filósofo e antropólogo francês, Edgar Morin, está no Rio de Janeiro para participar do Educação 360, um evento internacional que pretende debater os desafios do ensino com toda a sociedade. Em uma entrevista concedida ao jornal O Globo, o repórter perguntou a ele como a associação entre a razão e a emoção pode ser aplicada no sistema educacional. Ele respondeu que, no caso da educação, é preciso estabelecer um jogo dialético entre razão e emoção.

Essa tese de Morin se aplica à nossa participação na FLIP que pode ser definida como uma associação perfeita entre razão e emoção na obtenção de conhecimento e aprendizado.

A própria organização do evento integrado á vida da cidade nos proporcionou uma multiplicidade de emoções nas ruas, nos restaurantes e nas livrarias. Nos saraus nos surpreendemos com os ritmos dos textos e com a emoção das vozes que os contavam. Nos shows nos misturamos à multidão emocionada e encantada.
 Nas tendas dos autores ouvimos suas vozes, suas histórias de vida, rimos e choramos com eles. Os seus gestos nos aproximaram de seus livros e de suas histórias.

Quando retornamos para a faculdade, trocamos experiências e vivências tanto no nosso painel quanto nas nossas reuniões semanais com outros alunos e professores de diversas áreas de formação da faculdade. Essa troca deu origem a muitas reflexões e se transformou em textos, cartazes e num encontro entre os organizadores da FLIP, alunos, professores e coordenadores da ESPM.

Esse diálogo realizado aqui na ESPM revelou a riqueza do aprendizado que essa atividade proporcionou, principalmente aos alunos que brilharam em suas apresentações muito bem argumentadas e emocionadas.
Além disso, comprovou que um trabalho coletivo e integrado abre espaço para múltiplas possibilidades de transformação no processo educativo que se torna mais sedutor e abrangente.

Comentários estão desabilitados para essa publicação