soja_china_notaalta

China eleva compra de soja em grão da Rússia

As indústrias de esmagamento que atuam da China esperam contar com volumes expressivos de soja russa após a Administração Geral das Alfândegas do país asiático ter aprovado a importação do grão de todas as regiões da Rússia, na semana passada.
Em meio às disputas comerciais de Washington e Pequim, as vendas de trigo e soja da Rússia à China já alcançaram patamares recorde na temporada passada. No primeiro semestre deste ano, os dois países mantiveram conversações para estreitar ainda mais os laços nessa frente.
De acordo com executivos de tradings ouvidos pelo Valor nas últimas semanas, essa cooperação agrícola preencheu uma lacuna aberta pela redução das compras chinesas de produtos agrícolas americanos e atende a interesses geopolíticos das duas potências. Nesse cenário, estatais chinesas de alimentos têm ampliado investimentos em fábricas e infraestrutura na Rússia.
Apesar de crescentes, os volumes vendidos pelos russos aos chineses ainda são pequenos quando comparados aos enviados pelo Brasil e pelos próprios EUA. Segundo a agência Bloomberg, Dmitriy Rylko, diretor-geral do Instituto de Estudos do Mercado Agrícola da Rússia, acredita que as exportações de soja da Rússia à China ficarão entre 1,5 milhão e 2 milhões de toneladas de soja por ano.
Embora seja quase o dobro das vendas do ano passado – quando apenas algumas regiões russas tinham autorização para vender aos chineses -, é um volume muito baixo frente as 30 milhões de toneladas que a China parou de comprar dos EUA com o início da guerra comercial, em junho de 2018.
O grande fornecedor de soja aos chineses continua sendo o Brasil, que vendeu 88 milhões de toneladas no ano passado e deve enviar 72 milhões este ano, de acordo com estimativas da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).
A Rússia, que já é o maior país exportador de trigo do mundo, planeja investir bilhões de dólares em infraestrutura e logística de grãos com o objetivo de elevar suas exportações do cereal e de outros grãos para pelo menos 55,9 milhões de toneladas até 2035.
Esse objetivo, delineado em um plano estratégico publicado pelo Ministério da Agricultura da Rússia no início deste mês, poderá ser superado e chegar a 63,6 milhões de toneladas em um horizonte de condições mais favoráveis.

https://www.valor.com.br/agro/6397467/china-eleva-compra-de-soja-em-grao-da-russia#

Comentários estão desabilitados para essa publicação