tecnologia_ue_notaalta

União Europeia estuda fundo de € 100 bi para financiar empresas

A União Europeia avalia plano de lançar um fundo soberano de € 100 bilhões para financiar grandes empresas europeias que possam concorrer com as gigantes americanas, como a Apple e o Google, e chinesas, como o Alibaba.
Autoridades da UE elaboraram um esboço de um Fundo Europeu do Futuro, financiado pelos países-membros, para investir em setores estratégicos onde a Europa está atrás dos rivais globais, segundo um documento interno ao qual o “Financial Times” teve acesso.
O projeto faz parte de um conjunto de possíveis iniciativas apresentadas a Ursula von der Leyen, que será a próxima presidente da Comissão Europeia, para serem implemente durante o seu mandato de cinco anos à frente do bloco.
A criação de um fundo soberano seria a resposta mais audaciosa até agora ao apelos da França e da Alemanha para que a Europa desenvolva ferramentas de política industrial agressivas para proteger empresas europeias de concorrência desleal, como no caso das rivais chinesas subsidiadas pelo Estado.
O documento alerta que empresas não europeias “com meio financeiros sem precedentes [têm] o potencial de obliterar a atual dinâmica de inovação e a posição da indústria da UE em certos setores”.
Ele cita gigantes de tecnologia dos EUA, conhecidas como Gafa (Google, Apple, Facebook e Amazon), e da China, as Bat (Baidu, Alibaba e Tencent), como empresas que compraram rivais potenciais e agora “administram a agenda digital mundial”.
“A Europa não tem empresas assim”, diz o texto. “Isso representa um risco para o crescimento e os empregos, e para a influência da Europa em setores estratégicos”.
Leyen, que toma posse em 1o de novembro, prometeu que, sob sua gestão, a comissão “vai investir em inovação e pesquisa, reconfigurar nossa economia e atualizar nossa política industrial”.
O projeto preliminar diz que o fundo deverá se concentrar na aquisição de participações acionárias de longo prazo em “empresas de setores estrategicamente importantes sediadas na UE”. As prioridades de investimento deverão ser “desenvolver setores estratégicos” e construir e fortalecer as líderes da inovação no futuro”.
Paris e Berlim tendem a apoiar o plano, mas governos como o holandês têm se mostrado relutantes com a perspectiva de a UE relaxar suas regras antitruste para dar espaço a fusões ou “escolher vencedores” na corrida para concorrer com competidores globais.
Autoridades da UE esperam que a criação de um fundo com poder de fogo financeiro significativo estimule a atração de dinheiro do setor privado para os projetos. Os € 100 bilhões dependerão da alavancagem de dinheiro público dos governos da UE. O projeto sugere que o próximo orçamento da UE reserve dinheiro para o fundo.
O fundo soberano da China, conhecido como China Investment Corp, está entre os maiores do mundo, enquanto a Noruega, que não pertence à UE, tem o maior fundo nacional da Europa.
Autoridades da UE disseram que o Fundo Europeu do Futuro não é parte do programa formal da futura Comissão. “Documentos internos preliminares, resultantes de esforço concentrado, não devem ser confundidos com política pública”, disse um porta-voz da Comissão.

https://www.valor.com.br/internacional/6403923/ue-estuda-fundo-de-%3F-100-bi-para-financiar-empresas#

Comentários estão desabilitados para essa publicação