porto_eua

Nova rodada de tarifas dos EUA contra a China entra em vigor

Os Estados Unidos anunciaram ontem que em duas semanas começarão a cobrar tarifas de 25% sobre um adicional de US$ 16 bilhões em produtos importados da China, intensificando a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.
A partir de 23 de agosto, a alfândega americana começará a recolher sobretaxas sobre 279 linhas tarifárias de produtos, de uma lista inicial de 284, segundo comunicado divulgado pelo Escritório do Representante Comercial dos EUA (USTR).
A nova lista cobre produtos que vão de motocicletas e turbinas a vapor a vagões ferroviários. Será a segunda vez que os EUA aplicam sobretaxas a produtos chineses, apesar das queixas das empresas americanas de que essas iniciativas aumentam seus custos e, ao fim, elevam os preços ao consumidor.
Em 6 de julho os EUA anunciaram a cobrança de tarifas de 25% sobre US$ 34 bilhões em importações chinesas, o que levou a uma pronta retaliação de Pequim. A China prometeu retaliar novamente, no mesmo valor.
O USTR está estudando a ainda adoção de sobretaxa sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas. Essas novas tarifas podem entrar em vigor após um período de audiências públicas, que se encerra em 5 de setembro.
O presidente Donald Trump sugeriu que poderá efetivamente taxar todas as importações de produtos chineses, que somaram mais de US$ 500 bilhões em 2017.
Uma guerra comercial entre EUA e China reduziria o PIB global em 0,7 ponto até 2020. A economia chinesa sofreria um golpe de 1,3 ponto, e o PIB americano recuaria 1 ponto, segundo projeção da consultoria Oxford Economics.
Embora não haja um grande risco de o mundo mergulhar numa “estagflação danosa”, há a possibilidade de uma “explosão maior” que venha a reduzir muito o comércio, como aconteceu na década de 30, afirmou a consultoria.
No fim de semana, Trump disse que está no controle na guerra comercial. Pequim respondeu, por meio da mídia estatal, que está pronta para suportar as consequências econômicas.
EUA e China vêm tentando retomar as negociações de alto nível, interrompidas depois que Trump seguiu adiante com suas ameaças de sobretaxas. Representantes do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e do vice-premiê da China, Liu He, vêm mantendo conversas reservadas enquanto buscam meios de retomar as negociações, segundo informaram duas fontes a par dos esforços.
Os dois lados realizaram três rodadas de discussões formais, começando com uma delegação enviada a Pequim em maio e liderada por Mnuchin. Depois da visita da Liu a Washington, no fim daquele mês, os dois países emitiram um comunicado conjunto prometendo reduzir o déficit comercial dos EUA com a China, entre outras coisas. Mas dias depois, Trump recuou no acordo, dizendo que as negociações “provavelmente terão de usar uma estrutura diferente”.
As negociações foram interrompidas depois que o governo Trump impôs tarifas sobre US$ 34 bilhões em importações chinesas, que entraram em vigor em 6 de julho.
https://www.valor.com.br/internacional/5719515/nova-rodada-de-tarifas-dos-eua-contra-china-entra-em-vigor-dia-23

Comentários estão desabilitados para essa publicação