Guerra comercial reduz em 1% o PIB dos EUA

As incertezas com a política comercial deverão reduzir o crescimento econômico dos Estados Unidos em mais de 1% até o começo de 2020. É o que sugere uma nova pesquisa de economistas do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).
O estudo é um dos primeiros de pesquisadores do Fed a tentar quantificar os efeitos da recente escalada das incertezas com as políticas comerciais da Casa Branca.
O presidente Donald Trump impôs várias rodadas de tarifas sobre a China, gerando medidas retaliatórias de Pequim, como parte de sua estratégia de negociação.
No ano passado, Trump impôs tarifas sobre as importações de aço e alumínio. Em maio, meses após concluir um novo acordo comercial com o Canadá e o México, o presidente ameaçou o México com novas tarifas para conter a migração na fronteira EUA-México. Ele também ameaçou impor tarifas sobre a Europa.
“O aumento [das incertezas com a política comercial] em 2018 e 2019 foi acompanhada por uma desaceleração da produção industrial mundial e do comércio global”, diz a pesquisa, divulgada ontem pelo conselho diretor do Fed.
Os economistas documentaram o aumento da incerteza com a política comercial com análises separadas de textos de artigos de jornais e resultados financeiros de empresas. Eles examinaram a parcela mensal de artigos de jornais que discutiam as incertezas com a política comercial, fazendo uma análise dos textos dos novos artigos que incluíam termos relacionados a incertezas, como “risco”, “ameaça”, e “incerteza”, além de termos como “tarifas”, “imposto de importação” e “anti-dumping”.
Os pesquisadores então compararam o aumento dessas medidas de incerteza com a política comercial com alterações na produção industrial e outras variáveis financeiras e econômicas, para estimar o efeito sobre o PIB dos EUA, outras economias estrangeiras desenvolvidas e mercados emergentes.
A equipe do Fed constatou que o aumento inicial das incertezas com a política comercial no primeiro semestre de 2018 eliminou cerca de 0,8% do crescimento econômico global e dos EUA no primeiro semestre de 2019. Eles calcularam também que o mais recente aumento na incerteza irá reduzir o PIB americano em mais de 1% no primeiro semestre de 2020.
A pressão sobre o PIB teria começado a diminuir “se as tensões comerciais não tivessem apresentado uma nova escalada em maio e junho de 2019″, afirmam os economistas do Fed. “No entanto, a renovada incerteza desde maio de 2019 aponta para efeitos em cadeia adicionais que poderão derrubar mais o PIB no segundo semestre de 2019 e em 2020.”
O aumento das incertezas com a política comercial apresenta um desafio para os formuladores da política monetária do Fed, que passaram de um ciclo de alta das taxas de juros no ano passado, para um de queda neste ano.
“Não há precedentes recentes que orientem qualquer resposta política à atual situação”, disse o presidente do Fed, Jerome Powell, no mês passado. “A política monetária é um instrumento poderoso” de apoio à economia, mas “ela não pode fornecer um manual para o comércio internacional”, disse ele.
Trump tem criticado o Fed por aumentar as taxas de juros no ano passado e por não reduzi-las mais agressivamente neste ano. Ele também vem tentando culpar antecipadamente o Fed por uma eventual recessão.
Powell vem evitando escalar uma disputa com o presidente. No entanto, a mais recente pesquisa ilustra como muitos economistas e autoridades do Fed temem cada vez mais que as táticas comerciais inconstantes de Trump – não só com o uso de tarifas, mas também com a maneira caprichosa como elas são anunciadas, às vezes surpreendendo até mesmo seus próprios assessores – possam provocar danos duradouros à economia.
Trump já disse que as tarifas são uma tática de negociação importante para se obter um acordo comercial mais amplo com a China, mas tal acordo parece menos provável agora do que antes neste ano, apesar do aumento das tarifas.
Os seis economistas do Fed que conduziram a pesquisa observaram que há um certo grau de incerteza em torno de suas estimativas específicas. Mesmo assim, eles concluíram que as evidências sugerem que “a maior incerteza com a política comercial tem efeitos adversos sobre o PIB e os investimentos, com esses efeitos devendo se prolongar com o tempo”.
A pesquisa complementa outras análises recentes. “O relevante papel da política comercial nas recentes oscilações do mercado de ações dos EUA não tem precedentes históricos”, disse Steven Davis, economista da Booth School of Business da Universidade de Chicago, em um estudo publicado no mês passado.
Ao analisar a incerteza com a política comercial com base no noticiário jornalístico, David concluiu que essas incertezas desde o começo de 2018 são “um desvio extraordinário da história recente”. A análise de Davis sobre a literatura econômica concluiu que políticas mais previsíveis resultam em melhor desempenho econômico, enquanto que grandes incertezas são mais prejudiciais.

https://www.valor.com.br/internacional/6424167/guerra-comercial-reduz-em-1-o-pib-dos-eua-diz-fed#

Deixe um comentário