merkel&tsipras

Grécia avisa Alemanha: pagar dívida será “impossível”

O aviso foi bem claro. Alexis Tsipras, o primeiro-ministro da Grécia, alertou a premiê alemã, Angela Merkel, de que será “impossível” para Atenas cumprir com os pagamentos devidos de sua dívida nas próximas semanas se a União Europeia não der nenhum tipo de assistência financeira de curto prazo para o país.

A advertência, contida numa carta enviada por Tsipras para a premiê alemã e obtido pelo “Financial Times”, ocorre em meio ao temor crescente de que Atenas terá dificuldade para pagar aposentadorias e salários no fim deste mês e poderia ficar sem dinheiro antes do fim de abril, como mostrou matéria do Financial Times , assinada por Peter Spiegel, publicado no Valor de 23 /03, pg A11.

A carta, datada de 15 de março, chegou pouco antes de Merkel concordar em se reunir com Tsipras à margem da cúpula da UE da última quinta-feira e de convidá-lo para uma reunião apenas entre os dois em Berlim, prevista para esta noite.

Na carta, Tsipras adverte que o seu governo será forçado a escolher entre pagar os empréstimos, devidos principalmente ao Fundo Monetário Internacional (FMI), ou manter os gastos sociais. Ele culpa os limites impostos pelo Banco Central Europeu (BCE) sobre a capacidade da Grécia para emitir dívida de curto prazo, bem como a recusa das autoridades da zona do euro de desembolsar qualquer ajuda antes de Atenas adota uma nova rodada de reformas econômicas.

“Dado que a Grécia não tem acesso aos mercados financeiros, e também tendo em conta os ‘picos’ em nossas obrigações de desembolso da dívida durante a primavera e verão [os próximos meses no hemisfério Norte]… deveria estar claro que as restrições especiais do BCE, quando combinadas com os atrasos nos desembolsos, tornariam impossível para qualquer governo pagar a sua dívida”, escreveu Tsipras.

Ele disse que a pagar o serviço da dívida levaria a uma “acentuada deterioração da economia social grega, já deprimida – uma perspectiva que eu não vou tolerar”.

“Com esta carta, eu estou lhe pedindo para não permitir que uma questão pequena de fluxo de caixa e uma certa “inércia institucional” se transformem em um grande problema para a Grécia e para a Europa”, escreveu ele.

Tsipras teve rejeitados os seus esforços para garantir financiamento rápido seja do BCE ou de credores da zona do euro, na reunião de Bruxelas de quinta-feira com Merkel e um pequeno grupo de outros líderes da UE, incluindo o presidente francês, François Hollande, e o presidente do BCE, Mario Draghi.

Comentários estão desabilitados para essa publicação