Google

Google também avança no mercado das teles

Parece brincadeira, mas não é: usuários de celular, o Google está ligando para vocês. O gigante da internet lançou um serviço de telefonia móvel em grande parte dos Estados Unidos ontem, com uma estratégia que desafia muitas das práticas lucrativas que sustentam esse setor dominado pela AT&T, Verizon Communications, T-Mobile US e Sprint Corp.

O Google anunciou que o seu novo serviço, chamado Project Fi, custará US$ 20 por mês para voz e texto, incluindo disponibilidade de Wi-Fi e cobertura internacional em mais de 120 países, como mostrou material do The Wall Street Journal, matéria assinada por Ryan Knutson e Alistair Barr, publicada pelo Valor em 23/04 , pg B 7.

O Google vai cobrar US$ 10 por gigabyte de dados usado por mês. O custo médio mensal ficará entre US$ 15 e US$ 20 mais barato que as ofertas das principais grandes concorrentes.
Diferente da prática do setor, o Google informou que vai creditar as contas dos clientes que não usarem toda a sua cota de dados em um determinado mês.

A medida complica a relação do Google com as operadoras das quais depende para promover e distribuir os telefones que usam o sistema operacional Android e os aplicativos do Google. Mas isso é parte de um esforço crescente da empresa para expandir o acesso à internet e torná-lo mais barato, passos que podem levar a mais clientes para seus outros serviços, como ferramentas de busca e o YouTube.

O problema é que o serviço sem fio do Google ainda tem um longo caminho para se consolidar. Inicialmente, é um produto que funciona apenas para usuários convidados e está disponível em apenas para um aparelho – o Nexus 6, do Google – então os usuários do iPhone não terão acesso a ele.

A tecnologia usada pelo Google, de troca de operadoras, não possui um forte histórico comercial e o Google ainda não foi testado como uma operadora de celulares.

O Project Fi irá se conectar automaticamente com mais de um milhão de pontos gratuitos de Wi-Fi se estiverem disponíveis. Se não estiverem, ele vai funcionar nas redes da Sprint e da T-Mobile, trocando entre as duas dependendo da qualidade do sinal. O Google assinou contratos com as duas.

O serviço está disponível na maior parte dos EUA.
O projeto é o exemplo mais recente de como o Google está se expandindo para além do seu altamente lucrativo negócio de buscas on-line e publicidade, particularmente para o fornecimento de acesso à internet. O objetivo mais amplo do Google é incentivar as pessoas a usar mais a internet, especialmente seus próprios serviços.

“Mesmo em lugares como os EUA, onde as conexões móveis são quase onipresentes, ainda há horas em que se recorre ao telefone para aquela resposta imediata e não há velocidade suficiente”, escreveu num blog na quarta- feira Nick Fox, diretor de gestão de produtos da Google que comandou o desenvolvimento do Project Fi, que demorou cerca de dois anos.

Comentários estão desabilitados para essa publicação