times-square

“A publicidade é muito maior do que a gente pensava”

Cada R$ 1 gasto em publicidade gera, em média, R$ 10,69 para o conjunto da economia. O cálculo foi feito pela Deloitte a pedido da Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap). Segundo a consultoria, cada aumento de 1% no investimento publicitário leva a uma variação de 0,07% no Produto Interno Bruto (PIB) per capita no mesmo ano.

“A publicidade é muito maior do que a gente achava que era”, diz Armando Strozenberg, que assumiu no mês passado a presidência da Abap. Considerando que os anunciantes investem ao ano cerca de R$ 33,5 bilhões em propaganda no Brasil, o impacto no PIB é de R$ 358 bilhões, como mostoru materia assinada por Luciana Marinelli, publicada no Valor de 7/11.

Para chegar nessa conta, a unidade brasileira da Deiloitte tomou como base um modelo econométrico desenvolvido pela consultoria no Reino Unido em 2012, para a Advertising Association. Como medida do mercado publicitário brasileiro, foi considerado o último levantamento do Projeto Intermeios, gerido pelo grupo Meio & Mensagem, que é referente a 2014. O projeto foi interrompido no ano passado, mas seus números são considerados os mais precisos do setor, porque levam em conta os descontos oferecidos pelos veículos de mídia na contratação dos anúncios.

Segundo Strozenberg, o dado de 2014 permanece atual. “O investimento não mudou quase nada de 2014 para 2015″, afirma. Neste ano, segundo ele, o setor se mantém praticamente estável, com crescimento de 0,9% no montante investido pelos anunciantes de janeiro a junho, sobre o primeiro semestre de 2015.

O presidente da Abap prevê o início de uma retomada mais significativa da publicidade a partir de 2017. “Estou sentindo alguns ventos agradáveis vindos dos clientes”, diz ele, que é chairman do grupo Havas no país, um dos maiores da publicidade mundial. Jornalista, Strozenberg está no mercado de agências há 40 anos.

Strozenberg fica na presidência da Abap até o segundo trimestre do ano que vem, quando ocorre nova eleição. Ele assumiu o comando após Orlando Marques, presidente reeleito para o biênio 2015-2017, deixar a entidade. Marques foi contratado como consultor pela Kantar Ibope Media.

Comentários estão desabilitados para essa publicação