O imbróglio político italiano piorou. Isto não é bom para o euro

Comentários desativados

A confusão na Itália aumentou. O presidente do país, Giorgio Napolitano tornou ainda pior a incerteza política ao mandar ontem uma mensagem ao líder do Partido Democrático, Pier Luigi Bersani, dizendo que pretende recusar a formação de um governo de minoria parlamentar.
As eleições de 24 de fevereiro deram maioria ao partido de Bersani na Câmara , mas não no Senado. Isto que dizer que se o líder da centro-esquerda tentar formar um governo minoritário, ou seja sem maioria no Senado, ele pode ser derrubado a qualquer momento. Em outras palavras, o deputado Bersani assume o cargo de primeiro ministro, com os votos da maioria na Câmara e decide fazer alguma reforma, das muitas que a Itália necessita. Se algum senador do partido de Berlusconi, da centro-direita discordar, ou do partido do comediante Beppe Grillo também na concordar, pede um “voto de confiança” no governo no Senado. Como Bersani não tem maioria será derrotado.
Essa situação confusa e perigosa – a Itália poderá ficar sem governo por bastante tempo – assusta os vizinhos e sócios na mesma moeda, o euro. O eleitor italiano dividiu o poder em três partes muito semelhantes. Bersani alcançou 30,6% dos votos; Berlusconi obteve exatos 30% e o comediante Grillo chegou a 25%. O partido do comediante não aceita formar um governo de coalizão com qualquer outro partido. Os eleitores de centro-esquerda de Bersani não aceitam nem ouvir falar de um governo com a direita de Berlusconi. O imbróglio político italiano parece insolúvel.
A solução mais fácil, convocar novas eleições está proibida porque a Constituição italiana veta a dissolução do Parlamento, base da convocação, quando o presidente do país está a menos de seis meses do final do seu mandato, caso de Giorgio Napolitano que termina seu período na presidência em maio.
Os poderosos vizinhos alemães já perderam a paciência e disseram que querem uma solução para a Itália porque a crise política do país afeta o euro. Sem dúvida, as bolsas européias caíram forte depois dos resultados das eleições italianas. Os três políticos italianos vencedores da eleição preferiram fazer de conta que não ouviram o aviso da Alemanha.

Comments are closed.