nakagawa

Trabalhando com propósito: empreendedorismo social

Marcus Nakagawa

Quando me falaram que tínhamos que trabalhar com um propósito, achei que era simplesmente para ganhar dinheiro e pagar as contas. Conforme fui ficando mais velho, as contas aumentavam, e comecei a entender que não tinha que trabalhar para viver e sim viver para trabalhar. Descobri isso, principalmente, após o meu “burning out” na grande empresa multinacional onde trabalhava (fiquei muito nervoso e quebrei o computador com um murro). Apesar de sempre trabalhar com projetos sociais e ambientais, o porquê e para quem sempre me deixou intrigado.

Desde esse momento o conceito de empreendedor social acabou vindo em minha cabeça, segundo Bill Drayton, o empreendedor social aponta tendências e traz soluções inovadoras para problemas sociais e ambientais, seja por enxergar um problema que ainda não é reconhecido pela sociedade ou por vê-lo por meio de uma perspectiva diferente.

Hoje, o tema tem sido colocado como os empreendimentos de impacto social, qualquer organização que esteja melhorando, transformando ou trazendo inovações para esses problemas. Resolvendo um problema do mundo, do país, do estado, na cidade ou mesmo do seu quarteirão.

Na semana de 14 a 18 de maio de 2018 tivemos na ESPM – SP mais uma edição da Semana Mais Sustentável, com vários eventos, palestras, debates e visita a campo. Esta semana acontece uma vez por semestre e é liderado pelo time composto por alunos de diversos cursos da ESPM com a supervisão acadêmica minha e operacional da Karen Dalla. Neste semestre o tema foi Minimalismo e a discussão foi muito interessante. Tivemos a oportunidade de conhecer 16 empresas numa Feira que aconteceu na “quadra velha” que mostraram como empreendem com causa, com propósito e realmente gostam do que fazem. Empresas de bikes elétricas, passando por empresas de reciclagem, roupas Fair Trade e orgânicas, casas pequenas e mais sustentáveis, entre outros. Veja abaixo o link para as fotos da Feira.

Na visita à campo fomos à Morada da Floresta, uma organização que vende produtos ecológicos como composteiras que serve para utilizarmos os nossos resíduos orgânicos como alimentos, verduras e tudo mais para fazer adubo. Também vendem fraldas ecológicas, absorventes em forma de coletores e absorventes ecológicos, estas últimas em parceria com a Bela Gil. Além de outros produtos e alimentos. Mais do que os produtos diferenciados, o local do empreendimento social e ecológico é todo pensado para a sustentabilidade, com horta urbana, aproveitamento da chuva, compostagem, iluminação natural, entre outros atributos mais ecologicamente corretos. E durante a visita, o empreendedor social Cláudio Spínola, que foi um dos 3 finalistas do Prêmio Empreendedor Social 2016 do jornal Folha de São Paulo e da Fundação Schwab, contou a sua história para os alunos e alunas da ESPM de vários cursos que se inscreveram para a agradável tarde de aprendizados na prática.

Muitas vezes buscamos empreender, ter um propósito, mas nem cuidamos do nosso quarteirão, muito menos do vizinho. Este empreendedor social precisa começar, primeiramente, com o que tem de mais próximo: ele mesmo. Certamente o autoconhecimento é fundamental até para acharmos qual é o nosso propósito e qual o problema do mundo queremos resolver, talvez este seja o passo inicial para o empreendedorismo social. Depois verificar qual será o foco de atuação: na área social, saúde, política, educação ou ambiental, muitos segmentos e particularidades.

Assim escolhemos se queremos criar e/ou administrar uma ONG, fundação, um negócio social, de impacto social ou uma cooperativa. Organismos jurídicos que serão instrumentos para sua missão organizacional e propósito pessoal de vida. Em vez de ficar só reclamando, vamos sair da inércia e transformar a realidade?

Fotos da exposição das empresas mais sustentáveis:
https://www.facebook.com/pg/espmsustentavel/photos/?tab=album&album_id=1726982877378530

site da Morada da Floresta:
https://moradadafloresta.eco.br

Marcus Nakagawa é professor da ESPM; coordenador do Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental (CEDS); fundador e consultor da iSetor; idealizador e diretor da Abraps; e palestrante sobre sustentabilidade, empreendedorismo e estilo de vida.
http://www.marcusnakagawa.com, http://www.blogmarcusnakagawa.com

Comentários estão desabilitados para essa publicação