“Tipo” Super bowl no Brasil ? Vai demorar muuuuito …

Comentários desativados

Clarisse Setyon

Hoje um repórter me perguntou: “Você vê alguma chance de termos no Brasil um evento “tipo” Super bowl ? Não tão grande como o Super bowl, mas pelo menos parecido, talvez um evento de futebol…”.

Perguntei a ele se estava sentado e se tinha muito tempo para ouvir minha resposta. Ouvi uma afirmativa e me animei.

Vamos começar por aquilo que, talvez, alguns achem o aspecto menos relevante. O orçamento para um evento “tipo” o americano, onde a inserção de um break comercial custa US$ 4 milhões, deve ser alto, “tipo” muito alto. Não quero aqui contabilizar sequer salários de jogadores, de técnicos, assistentes, e outros que atuam em campo. Fontes dão que o técnico do Patriots, leva para casa US$ 7,5 milhões ao ano.

Também acho que não vale a pena discorrer sobre o fato de que apenas a Rede Cinemark, vendeu 10 mil ingressos para os brazucas que quiseram assistir o jogo na big screen (apenas para se ter noção de grandeza do que representam 10 mil ingressos para assistir ao Super Bowl, vamos lembrar que a média de espectadores, no estádio, no Campeonato Brasileiro de Futebol, em 2014, foi de 17 mil pessoas).

Mas vamos pensar apenas na produção: luz, som, banheiros, lanchonetes, estacionamentos … Não precisa pensar em entretenimento. Bem, pelo menos lá nos Estados Unidos, parece que a Kety Perry não recebeu um tostão por sua participação no evento. Algum star brasileiro estaria disposto a “doar” seu show em um evento do mesmo “tipo”?

Voltando …. pensem em um número grande. Aumente um bocado. Agora coloquem, sei lá, 40 % de, well, digamos, “tipo” comissão… Sim, como dizem os acusados do Lava Jato, “eu fazia porque todo mundo faz”. Então 40 % está de bom tamanho, né ?! Mas, enfim, resumindo, o orçamento atingiria um valor enorme e talvez não fosse possível encontrar patrocinadores para um evento destas proporções. Considerando que, dependendo de quem transmitiria o evento pela televisão (ah por falar em TV, apenas o Super Bowl movimenta em direitos, por temporada, quatro vezes mais do que a Liga dos Campeões da Europa), esta emissora poderia não dar a necessária visibilidade aos patrocinadores, afinal, sabe como é, algumas emissoras estão acostumadas a “tipo” mandar no jogo mais do que a própria CBF …

Depois do orçamento, eu diria que outro obstáculo para um evento deste “tipo” aqui seria a torcida. Nossa cultura nos faz assistir, torcer, vibrar por aquele time pelo qual apoiamos desde pequenininhos.

Também gostamos de torcer quando alguém “nosso” tem chances de ganhar. Vejam o que aconteceu com a audiência do tênis no Brasil, após a era-Guga … o que está acontecendo com a audiência da F-1 após a era-Senna. Será que pagaríamos ingressos que, lá, custaram entre US$ 500 e US$ 1.900 para assistirmos um jogo em que nosso time não está em campo. Iríamos a um jogo destes apenas pela experiência ? Apenas pelo evento em si ? “Tipo”, tenho dúvidas.

Em termos de Arenas, progredimos anos luz, graças à Copa. Entretanto, alguém voltou ao Itaquerão depois da Copa ? Vale uma visita .. você não precisará de lupa para encontrar milhões de problemas na Arena. Precisaríamos de uma boa reforma para pensarmos em criar uma experiência, um evento de verdade.

Mas vamos ao ponto mais delicado da minha afirmação. A CBF .. ah, a CBF.

Lá no Estados Unidos, existe a Liga (NFL). Uma liga cuida de sua galinha dos ovos de ouro. Uma liga mantém o equilíbrio entre os times. Uma liga conversa, se entende. Uma liga se envolve até mesmo no salários dos jogadores, estabelecendo um teto máximo. “Tipo”, bem diferente daqui.

A liga tem 32 equipes, 2 conferências, cada uma com 4 divisões. Cada uma faz 16 jogos durante a temporada. As ligas organizadas para a prática do futebol americano ao redor do mundo não param de crescer. A NFL tem tentado controlar inclusive a conduta dos atletas fora de campo. O Super bowl é disputado em um jogo único, sempre no primeiro domingo de fevereiro em uma sede pré definida. Não são enormes as semelhanças entre a NFL e a CBF?

Você concorda que há motivos de sobra para que um evento “tipo” Super bowl demore muuuuuito para chegar ao Brasil?

Comments are closed.