Formatos de arquivos digitais

Comentários desativados

Thales Trigo, Coordenador da Unidade Tamandaré do Anglo Vestibulares

Um formato de arquivo digital é uma maneira específica de se codificar informações digitais. Existem centenas, talvez milhares de formatos de arquivos. Alguns são usados para codificação de imagens como, por exemplo, arquivos JPG ou JPEG, TIF ou TIFF, arquivos no formato “cru”, os chamados arquivos RAW, como DNG, CR2, NEF, MOS entre outros. Além disso, temos formatos para texto como DOC, DOCX, TXT , os arquivos PPT para apresentações e até o importante formato usado nas áreas médicas, os arquivos DICOM.

Na fotografia digital, sem dúvida os formatos mais usados são o JPEG o TIFF e os arquivos genericamente chamados de RAW.

Arquivos JPEG, ao contrário do que se imagina normalmente, são muitos e diferentes. Estima-se mais de quarenta tipos de JPEGs no mercado atualmente. Cada empresa, cada fabricante pode desenvolver um tipo de JPEG. Embora todos eles devam usar um determinado conjunto de algoritmos matemáticos, a ordem como os algoritmos são implementados podem variar. Os arquivos JPEGs são muito úteis e bastante utilizados na fotografia, particularmente entre os amadores. Os JPEGs são arquivos que podem ser bem compactados, isto é, economizam memória tanto nos cartões das câmeras como nos computadores. Uma possível crítica ao uso do formato JPEG pelos profissionais é a perda de qualidade quando as imagens são “trabalhadas” em programas de edição. Cada vez que um arquivo JPEG é modificado e novamente “salvo”, as modificações geram novas compactações e isso, num determinado limite, pode prejudicar a qualidade da imagem, principalmente em grandes ampliações.

De qualquer forma, nada contra o uso de JPEGs, principalmente quando a  imagem já está pronta para ser impressa em um laboratório fotográfico digital.

Os arquivos TIFF são os arquivos para tratamento propriamente. Em TIFF cada pixel que forma a imagem digital tem sua estrutura preservada. A posição e as cores que formam cada pixel não sofrem modificações  mesmo depois de muitos “salvamentos”. Arquivos TIFF são arquivos ISO, todos podem conhecer sua estrutura e qualquer engenheiro de computação é capaz de  desenvolver métodos para decodifica-los.

O uso de arquivos TIFF preserva a qualidade da imagem e sua leitura no futuro. Mesmo que as mídias devam ser mudadas, o formato é preservado.

Arquivos genericamente chamados de RAW são arquivos exclusivos de certos fabricantes. Arquivos NEF, por exemplo, são usados pelas câmeras Nikon, os CR2 da Canon e a Leica usa, sob licença, arquivos DNG que são desenvolvidos pela Adobe.

Curiosamente, todas as câmeras, mesmo as mais simples, fotografam em RAW, essa é a única forma de se fotografar digitalmente. As mais simples convertem os arquivos de captura (RAW) para JPEG usando escolhas e opções de seus engenheiros e técnicos, cada qual apresentado possíveis variações de cores e tonalidades.

Câmeras mais sofisticadas podem oferecer opções; guardam os arquivos de captura (RAW), guardam uma cópia de JPEG com diferentes qualidades e algumas câmeras também podem guardar imagens em TIFF.

Ao contrário do que se imagina, arquivos RAW são menores do que os arquivos TIFF de uma mesma cena, praticamente eles têm um terço do tamanho do TIFF.

Thales Trigo

Fotógrafo profissional

Diretor da Fullframe Escola de Fotografia em São Paulo

Bacharel em Física pela USP

Mestre em Astronomia pela USP

Doutor em Engenharia pela USP

Comments are closed.